!

!

Friday, December 26, 2014

Arriscar é: tudo por descobrir

Do Papa Francisco às crianças:
“Escutei que este ano se comprometeram com um tema que tem como slogan ‘Tudo por descobrir’. É um caminho belo, que necessita a coragem e o cansaço da busca, para que depois descubram o projeto que Jesus tem para cada um de vocês”.

Nesse sentido, tomando como inspiração a palavra “Tudo”, Francisco deu cinco conselhos para estas crianças:

1 – Não se rendam nunca, porque o que Jesus quer das crianças está para ser construído juntos: com os pais, irmãos, amigos e companheiros de escola...

2 – Interessem-se pelas necessidades dos mais pobres, dos que mais sofrem e estão mais sozinhos, porque, quem gosta de Jesus, deve amar o próximo. Assim, tudo se torna amor.

3 – Amem a Igreja, os seus sacerdotes, coloquem-se a serviço da comunidade, porque a Igreja não é somente os sacerdotes, os bispos… mas é toda a comunidade, coloquem-se a serviço da comunidade. Doem tempo, energia, qualidade e capacidade pessoais para as suas paróquias dando assim testemunho da própria riqueza que é compartilhar. É importante! Aquele “tudo”: Tudo por descobrir, tudo para compartilhar, tudo para construir juntos, tudo amor…

4 – Sejam apóstolos da paz e da serenidade, a partir das próprias famílias, recordem aos seus pais, aos seus irmãos e contemporâneos que é bonito amar-se e que as incompreensões podem ser superadas, porque estando unidos a Jesus tudo é possível. Mas esta palavra não é uma invenção nova: Esta palavra foi dita por Jesus, quando descia do monte da Transfiguração. Para aquele pai que pediu a cura de seu filho, o que lhe disse Jesus? “Tudo é possível para aqueles que têm fé”. Com a fé em Jesus pode-se tudo, tudo é possível.

5 – Falem com Jesus. A oração: Falem com Jesus, o maior amigo que nunca os abandona, confiem a Ele as suas alegrias e tristezas. Corram a Ele cada vez que errem e façam alguma coisa ruim, com a certeza de que Ele os perdoa. E falem com todos de Jesus, do seu amor, da sua misericórdia, da sua ternura, porque a amizade com Jesus, que deu a própria vida por nós, é um fato para contar a todos. Todos estes “tudo” são importantes.

“O que dizem? Atrevem-se a colocar em prática esta proposta com o ‘tudo’?”

“Penso que já vivem uma grande quantidade destas coisas. Agora, com a graça do seu Natal, Jesus quer ajudar-vos a dar um passo bem mais decidido, mais firme e mais alegre para serem seus discípulos. É suficiente dizer uma palavrinha: “Eis-me aqui”, como nos ensina Nossa Senhora, que, assim, respondeu ao chamamento do Senhor”

Tuesday, December 23, 2014

Arriscar é: Natal Feliz

Esta estrela que vos dei
caiu no meio do meu jardim
não sei se queria ser vossa
ou apenas ter pena de mim.

Esta estrela que vos dei
desceu numa noite bem escura
iluminou o jardim
E encheu-me de ternura.

Esta estrela que vos dei
trouxe-me muita alegria
veio para junto de vós
espalhar sabedoria.

Esta estrela que vos dei
Veio dizer-nos um segredo
Não vale a pena ficarem
Com essa cara de medo.

Esta estrela que vos dei
É caminho mais além
Veio dizer a todas nós
É ali sim, em Belém!

Esta estrela que vos dei
Indica um novo caminho
Não é fácil percorrê-lo
Precisamos de um anjinho.

Esta estrela que vos dei
serve para vós de postal
Foi o que vos consegui fazer
Para presente de Natal.

(Isabel Aleixo)

Monday, December 15, 2014

Arriscar é: ?

A doença dos povos do hemisfério norte é comer demais. 
Que estranho!

Saturday, December 13, 2014

Arriscar é: alegria

A alegria sem precisar de desinibidores é a que vive de acrescentar algo de bom à vida dos outros. Sempre a partir do que enche a medida do coração do outro.

Friday, December 05, 2014

Arriscar é: construir sobre a rocha

Por vezes essa é a conclusão a que chegamos:
Estamos a construir sobre a areia e não sobre a rocha.
Hoje verificamos que poucas vidas têm solidez.
Por tal se aposta a ver se dá.
Mas atenção porque pode não ser só a vida do outro que está construída sobre a areia, também a nossa...
E quando o nosso coração é de pedra?

Wednesday, December 03, 2014

Arriscar é: medo de

Verificamos que tem mais medo de perder quem já teve pouco ou fez a experiencia de perder.

Por isto é tão importante a gratidão pelo que já se tem.

Monday, November 24, 2014

Arriscar é: mão cheia

Uma mão cheia são as atitudes que não devemos deixar de viver nesta nossa passagem...
Amar
Ser amado
Perdoar
Ser perdoado
Dizer adeus

Friday, November 21, 2014

Arriscar é: 40+6

 40+6
Amig@s,
Volta a tradição!
Já lá vão 6 anos em que, nesta altura, paro para fazer este exercício de memória e gratidão.
Este ano decidi agradecer a esta terra que me acolhe, Portugal e na sua língua. Pensei em cerca 46 palavras significativas da minha vida:
1.      Carlos - O meu nome (Carlos Manuel Pereira Azevedo) é formado a partir do nome do meu avô (Carlos Pereira) o seu filho e meu tio falecido com 6 anos (Carlos Manuel Pereira) e do meu Pai (Carlos Augusto Rodrigues Azevedo) e seu pai, Manuel.
2.      Mãe e pai – Duas palavras que lamento não ter memória da primeira vez que as disse. Deve ser um momento único na vida de quem as ouve. Para quem as diz é algo que transmite muita segurança.
3.      Irmão - Os pais dão-nos este presente que, a seguir á vida, é um dos melhores que há. Vamos aprendendo a valorizar ao longo da vida e a manifestá-lo. É a grande resposta à solidão.
4.      Avós e neto - O meu avô costumavam dizer que eu é que era o avô. Com ele reforcei muito a certeza de ser amado. As avós que conheci alem da serenidade, foram fonte de muito e bom afeto e carinho. Ser neto foi um dos mais importantes papéis da minha vida. A saudade está aqui contida.
5.      Amigo de Deus- Este foi um dos tratamentos mais bonitos que já tive. Quando estive muito doente alguém rezou assim por mim: “Senhor o teu amigo está doente, se quiseres podes curá-lo”. Mais tarde num grupo do Pré-Seminário, os jovens que eu acompanhava, tinham este nome.
6.      Cristão – Esta palavra começa por ser um dado cultural, mas torna-se mais bonita quando é uma convicção que define uma adesão a uma Pessoa e a um Caminho, Cristo e o Evangelho.
7.      Intimidade e Cumplicidade-São estes os lugares onde acontece o que dá mais sentido à vida. Num encontro e partilha de vida, num partilhar da mesma linguagem.
8.      Casa – Mais do que o edifício, gosto tanto de me “sentir em casa”. Isso acontece em lugares mas também com pessoas. Há pessoas que me fazem assim sentir quando estou com elas. Que bom.
9.      Comunhão - comer do mesmo prato, beber do mesmo copo. Assim, defino a comunhão que comecei a aprender, primeiro em casa com os pais e depois na amizade com Deus e os outros.
10.  Música - Juntamente com o cinema é do que mais acrescenta beleza à minha vida. A arte eleva a criação de Deus a um ponto culminante e faz-me sonhar e contemplar. A música é a minha grande fonte de inspiração e abertura para a emoção e espiritualidade.
11.  Tempo - O tempo é o que faz da vida um tesouro. O tempo que gastamos e como o gastamos com as coisas, as pessoas e com Deus faz-nos amar mais ou menos. Perder tempo sem sentido é um dos desperdícios piores da vida e uma das imagens do inferno. Gosto de construir momentos para mais tarde recordar.
12.  Palavra - Esta tem uma força criativa e destruidora inigualáveis. Para mim, as palavras são isso mesmo, uma força. Vou-me exercitando nelas e fazendo o caminho de purificação e aprofundamento do seu conteúdo.
13.  Padrinho - Ao longo dos anos esta palavra foi estando muito presente. Desde os meus 14 anos fui sendo padrinho de algumas pessoas. Ora do batismo ora do crisma. Nem sempre estive à altura da missão mas é um laço que me compromete.
14.  Amor – O principio, o meio e o fim de tudo. Identifico esta palavra com uma Pessoa, Jesus. Nele a encarnação do que o Amor é.
15.  Paz – Este é para mim algo mais interior à pessoa do que exterior. É também uma construção contínua e permanente. Conquistando-se não se deve jogar fora por qualquer coisa.
16.  Reconciliação- Esta é um dos tesouros do cristianismo. Um sacramento que nos permite ouvir e saber que somos perdoados. Fantástico. A vida para acontecer passa pelo erro e a culpa, marcas da nossa fragilidade, mas não avança se não há paz interior com as pessoas e os acontecimentos.
17.  Peregrinar - Esta palavra marca muito da nossa condição humana. Desde cedo o percebi. As minhas entradas em Jerusalém reforçaram essa dimensão que cruza a história do ser humano. A peregrinação reforça o sentido de tudo na relação com Deus o outro e a natureza.
18.  Descansar- com o decorrer da vida vamos notando que esta realidade é muito importante e necessária. Mas não só o tempo de descanso é importante. O local e as pessoas também são descansativas ou não…
19.  Saborear - Com Sto. Inácio aprendi que o que mais importa não é só o saber mas o saborear internamente todas as coisas. Um belo lema para a vida feliz.
20.  Escrever – Ainda hoje das coisas que me dão mais gozo é escrever e com caneta. Apesar de não ter uma caligrafia interessante dá gosto escrever as minhas notas e as minhas cartas aos amigos dessa forma. A escrita leva muito de nós na forma e no conteúdo.
21.  Ler – Há no ser humano uma dimensão de conquistador e descobridor. A leitura é uma das dimensões que o permite. Ler um bom livro é uma fantástica aventura.
22.  Conversar – Do que mais enche as minhas medidas é assistir ou participar numa boa conversa. Como lembro ouvir os meus pais desde menino já noite dentro a conversar e depois guardo como momentos culminantes boas conversas que tive. Nasce muita luz de uma boa conversa.
23.  Admirar – Admirar e ser admirado é um dos grandes objectivos da vida. Os dois juntos. Equilibram-se. Pelas razões certas, a admiração enche a vida.
24.  Cantar- O gozo que dá cantar já foi maior mas sei que sempre vai estar presente.
25.  Acolher – Este é dos maiores prazeres que me podem dar. Ser bem acolhido. Quem já o experimentou não fica indiferente ao que pode proporcionar aos outros. Creio que todo o decurso da nossa vida é marcado pelo primeiro instante em que a nossa vida é acolhida ou não.
26.  Próximo – Ser acessível é uma busca contínua da nossa parte. Gostávamos de chegar a todos, mas gostávamos que ninguém tivesse dificuldades em se aproximar. Hoje é parte da harmonia que buscamos na vida.
27.  Escutar – Será este um dos actos mais necessários hoje em dia. Mais do que tudo é uma missão e um serviço. Ser bem escutado estrutura o nosso ser e mata a nossa solidão.
28.  Jesus e Deus – O pilar de todas as vidas não só pela criação mas no sentido que toda a vida tem. O caminho da verdade e da vida estão aqui ditos na sua grandeza e beleza extrema o Amor.
29.  Maria- Com certeza que este será, de todos os nomes, o mais belo. É nome de mulher, de mãe e de avó.
30.  Gratidão – Um coração agradecido é um coração feliz e bonito. O seu contrário é do que mais nos choca.
31.  Medo – Além do amor todos sabemos que esta é uma das forças que nos move. Não é uma logica pela qual nos gostaríamos de mover mas ainda vai acontecendo. A liberdade e a inteireza de nós mesmos estão na vitória sobre o medo.
32.  Felicidade – Encontrar a minha e ajudar os outros a descobrir a sua é uma das tarefas da vida. Não é trabalho mensurável mas é essencial. O resto está nesta direção.
33.  Simples – Valorizar o simples é para nós um caminho de excelência. Tudo é simples para os simples, e complicado para os complicados. Assim cremos e procuramos por em prática. Acrescenta muito e é barato.
34.  Humildade – Esta deverá refletir a verdade de nós mesmos. Possibilita a vitória sobre o desamor e a solidão. Só na verdade há amor, e a humildade é o caminho.
35.  Saudável – Este é um critério para as atitudes física, psíquica, social e espiritualmente. Opções e comportamentos assertivos somam saúde á nossa vida.
36.  Identidade – Algo que se deve identificar claramente. Mexer na identidade exige muito cuidado. É certo que esta se constrói mas quando se destrói tudo em nós periga.
37.  Melhor – Se a vida é um caminho que seja sempre melhor. Nas escolhas da vida mais do que pedir o que nos parece bom, a sabedoria está em pedir o melhor ainda que não seja de acordo com o que vemos no instante. É muito saudável e libertador este critério de vida.
38.  Sentido – Procurar onde está Deus em cada pessoa e acontecimento é achar o sentido da vida. Não será fácil mas é muito do objetivo da minha missão sobre a terra.
39.  Água e Chuva – Sempre achei que a água e a chuva são elementos que dão muito futuro à nossa vida. Quando chove penso na vida que surge a seguir e na restante criação que tanto necessita como nós da agua para viver.
40.  Entusiasmo- Apoiar as causas e os ideais é algo que me mobiliza. O desencanto das pessoas pela vida é algo que me deixa muito triste. Quando aprendi que esta palavra entusiasmo quer dizer ter Deus dentro ainda mais a apreciei.
41.  Terra – Diz-se que o que é natural é bom e realmente assim é. Existe na terra um sentido de maternidade que me encanta. Gosto de ver a natureza a crescer, a frutificar, a morrer e a regenerar-se. O ciclo da vida terra é um mistério que não deixa de ser fantástico.
42.  Mar – O mar é tão apaixonante como medonho. Inspira muitos dos mais belos sonhos e momentos, bem como os mais tremendos pesadelos.
43.  Céu e ressurreição – O céu físico e o espiritual. O primeiro onde gosto de ir quando viajo de avião) e o segundo para onde desejo ir. A ressurreição é a palavra que marca todo o rumo de uma vida. Para aí espero que possamos dirigir-nos onde já não morreremos mais.
44.  Alcobaça – A nossa terra molda-nos a personalidade a partir das suas gentes, cultura e múltiplas vivencias que aí nos vinculam.
45.  Lisboa – É pena mas é verdade: Lisboa oferece a segurança de muita coisa ali se encontrar. São meios e recursos a que precisamos recorrer muitas vezes e que ali se situam.
46.  Tio – Dos títulos mais recentes que recebi e que sabe bem ouvir. Estou ainda a aprender e a habituar-me.

Obrigado a todos pela partilha e por todas as palavras bonitas de carinho e estima que tanto acrescentam à nossa vida. P. Carlos

Thursday, November 20, 2014

Arriscar é: trabalhar para a alegria?

Para que alegrias trabalhamos?
O centralismo da nossa alegria 
reduz-nos a muito pouco.
Merece-nos atenção a sua origem e destino.
Pode começar em nós mas não deve só ficar por aí.
A alegria mais completa abrange também os outros. 

Wednesday, November 19, 2014

Arriscar é: a alegria do perdão

Pode sentir a alegria do perdão quem se abre a ele.
Não é uma humilhação, é uma libertação.
É uma das mais sublimes liberdades.
Quem reclama pela liberdade deve começar por um coração reconciliado e em Paz. 
Grande caminho.

Monday, November 17, 2014

Arriscar é: retribuir

Se já sentiste a alegria de te devolverem um gesto bonito,
saberás como o poderes retribuir é muito importante.
 Não será só retribuir aqueles que já nos fizeram bem mas à vida em si mesma. Por aquilo que já recebemos.
E mesmo retribuir por amor à Deus e por Ele nos ter amado tanto em Jesus.
Esta motivação para retribuir pode dar um sentido sem fim à nossa vida.

Monday, November 10, 2014

Arriscar é: a si mesmo

Quantas vezes nos enganamos a nós mesmos.
Ou nos convencemos que nada valemos ou temos a ideia que somos os melhores do mundo.
Que os outros se enganem a nosso respeito é com eles.
Nós lucramos com o bom senso e o equilíbrio do que somos.

Monday, November 03, 2014

Arriscar é: encontrar-se

Se deixa de haver uma referencia ao céu na nossa vida é como se estarmos perdidos sem rumo na vida.
É mesmo importante a pessoa não ignorar a sua referencia à eternidade.
Creio mesmo que esta será uma das causas da crise actual: sabe-se pouco o que se quer.
Para mais, pode-se dizer que quando alguém tem no céu cristão o seu horizonte a terra lucra, pois a pessoa passa a respeitar e a trabalhar a sua presença de uma forma mais valorativa para tudo e todos.
É isso que podemos testemunhar na vida de Todos os Santos.

Thursday, October 16, 2014

Arriscar é: deixar passar

Estamos sempre à espera de um pretexto para pegar mal nas coisas.
Qualquer palavrinha, olhar, atitude... servem para fazermos uma tempestade.
Às vezes parece que o que a vida nos trás não chega e ainda aproveitamos as energias que nos restam
para inventar mais uma chatice.
Cabe a cada um dizer basta. A vida será muito mais fácil para todos.

Monday, October 13, 2014

Arriscar é: fé e amizade

Jesus apresenta a fé muito unida à amizade.
A fé e tudo o mais faz sentido porque a amizade existe, com Deus, com os outros e a natureza.
A relação tem uma fragilidade e grandeza que a fé vem socorrer e prevalecer.
É por isso que Jesus diz que não há maior prova de amor do que dar a vida pelo amigo.

Tuesday, October 07, 2014

Arriscar é: ajudar a louvar

"Leitura do Livro de Isaías
(Is 5,1)
Vou cantar, em nome do meu amigo, um cântico de amor à sua vinha."


Assim começava a liturgia da palavra este domingo.
Que bela ideia. Poderemos ajudar o outro (amigo) a louvar a sua vinha.
Neste tempo tão desanimado para tantos este caminho será um dom precioso e um util serviço à amizade.
Não será mal de todo se começarmos por nós.

Wednesday, October 01, 2014

Arriscar é: o que é preciso

"Ao viajar pelo Oriente, mantive contatos com monges do Tibete, da Mongólia, do  Japão e da China. Eram homens serenos, comedidos, recolhidos e em paz nos seus mantos cor de açafrão.  Outro dia, eu observava o movimento do aeroporto de São Paulo: a sala de espera cheia de executivos com telefones celulares, preocupados, ansiosos, geralmente comendo mais do que deviam. Com certeza, já haviam tomado café da manhã em casa, mas como a companhia aérea oferecia um outro café, todos comiam vorazmente. Aquilo me fez refletir: 'Qual dos dois modelos produz felicidade?'

Encontrei Daniela, 10 anos, no elevador, às nove da manhã, e perguntei: 'Não foi à aula?' Ela respondeu: 'Não, tenho aula à tarde'. Comemorei: 'Que bom, então de manhã você pode brincar, dormir até mais tarde'. 'Não', retrucou ela, 'tenho tanta coisa de manhã...' 'Que tanta coisa?', perguntei. 'Aulas de inglês, de balé, de pintura, piscina', e começou a elencar seu programa de garota robotizada. Fiquei pensando: 'Que pena, a Daniela não disse: 'Tenho aula de meditação! Estamos construindo super-homens e super  mulheres, totalmente equipados, mas emocionalmente  infantilizados.
Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de ginástica e três livrarias! Não tenho nada contra malhar o corpo, mas me preocupo com a desproporção em relação à malhação do espírito. Acho ótimo, vamos todos morrer esbeltos: 'Como estava o defunto?'. 'Olha, uma maravilha, não tinha uma celulite!' Mas como fica a questão da subjetividade? Da espiritualidade? Da ociosidade amorosa?

Hoje, a palavra é virtualidade. Tudo é virtual. Trancado em seu quarto, em Brasília, um homem pode ter uma amiga íntima em Tóquio, sem nenhuma preocupação de conhecer o seu vizinho de prédio ou de quadra! Tudo é virtual. Somos místicos virtuais, religiosos virtuais, cidadãos virtuais. E somos também eticamente virtuais...

A palavra hoje é 'entretenimento'; domingo, então, é o dia nacional da imbecilização coletiva. Imbecil o apresentador, imbecil quem vai lá e se  apresenta no palco, imbecil quem perde a tarde diante da tela. Como a publicidade não consegue vender felicidade, passa a ilusão de que felicidade é o resultado da soma de prazeres: 'Se tomar este refrigerante, vestir este  tênis,  usar esta camisa, comprar este carro,você chega lá!' O problema é  que, em geral, não se chega! Quem cede desenvolve de tal maneira o desejo, que acaba  precisando de um analista. Ou de remédios. Quem resiste, aumenta a neurose.

O grande desafio é começar a ver o quanto é bom ser livre de todo esse condicionamento globalizante, neoliberal, consumista. Assim, pode-se viver melhor. Aliás, para uma boa saúde mental  três requisitos são indispensáveis: amizades,  autoestima, ausência de estresse.
 

Há uma lógica religiosa no consumismo pós-moderno. Na Idade Média, as cidades adquiriam status construindo uma catedral; hoje, no Brasil, constrói-se um shopping-center. É curioso: a maioria dos shoppings-centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de  missa de domingo. E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas...

Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela musiquinha de esperar dentista. Observam-se os vários nichos, todas aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas. Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Deve-se passar cheque pré-datado, pagar a crédito,  entrar no cheque especial, sente-se no purgatório. Mas se não pode comprar, certamente vai se sentir no inferno... Felizmente, terminam todos na eucaristia pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo  hambúrguer do Mc Donald...
Costumo advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas: 'Estou apenas fazendo um passeio socrático.' Diante de seus olhares espantados, explico: 'Sócrates, filósofo grego, também gostava de descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas. Quando vendedores como vocês o assediavam, ele respondia:...
"Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso para ser Feliz"!!!
Frei Betto

Monday, September 29, 2014

Arriscar é: ver

Eu vi ou eu vi-te...
Que interessante! Vermos e sermos vistos faz-nos sentir especiais.
Jesus sabia e por tal valorizava esse aspecto da nossa existência. 
Será por isso que Ele ainda está presente ao nosso olhar e nós no Seu.
Que belo e estruturante!

Monday, September 22, 2014

Arriscar é: deprimir

Em tantos locais a conversa é tão deprimente...
Para muitos a vida está sempre má. Tudo está mal.
Será que assim é?
É a realidade que nunca se altera ou o discurso?

Monday, September 15, 2014

Arriscar é: glorificar a cruz

Glorificar a cruz foi o que jesus fez.
Nós temos muita dificuldade em fazê-lo.
Será a nossa cruz mais dolorosa do que a Dele?
Glorificar a cruz é colocar amor nela. Colocar amor nela
é inscrever nela os nomes dos que queremos salvar com a nossa entrega.
Escreve-los bem visíveis.

Saturday, September 06, 2014

Arriscar é: podia...

"Eu podia", é quase sempre sinal de nada.
Se existem palavras e expressões que deveriam ser
pouco ou nada usadas esta é uma delas.
Quando se afirma algo desta forma, em muitos dos casos
já se está a afirmar que nada vai acontecer. Então porquê afirmar: "eu podia".

Friday, August 29, 2014

Arriscar é: entre o terrorismo e a solidariedade

A internet é, como tudo, de extremos. Nestes dias assistimos a campanhas muito fortes pelo terrorismo e pela solidariedade. Realmente tudo depende do ser humano e da sua consciência. Formar uma cultura com bondade é desafio de todos.

Thursday, August 21, 2014

Arriscar é: só para alguns

Haverá coisas que se obtém casualmente...
A maioria não serão só boas.
As coisas boas implicam vontade e esforço.
São resultado de um querer forte e determinado.
Não são para todos, concerteza...

Monday, August 18, 2014

Arriscar é: preferir

Preferir e não excluir é algo muito cristão.
É disso que Jesus nos fala e a que nos convida.
Que preferimos?

Saturday, August 16, 2014

Arriscar é:comer

É impressão minha ou estamos a reduzir a vida ao que comemos e bebemos?
Não serão todos e em todo o lado mas dá que pensar. Partilha-se o copo e o prato nas imagens que postamos. Terá isso alguma análise ou será sintoma de algo?

Sunday, August 10, 2014

Arriscar é: mudança/download

O que é que mudou?
Em mim, na sociedade, nos critérios da vida?
Este é um exercício que devemos fazer como quem actualiza os programas do computador. É um ajuste que feito com consciência nos integra e permite responder melhor aos desafios de cada presente.

Monday, August 04, 2014

Arriscar é: esforço

Fazemos muito esforço por ser amados. Será que há limites?

Monday, July 28, 2014

Arriscar é: ser avó

Esse tempo e amor são tão valorativos e vinculativos.
Com a calma e a sabedoria de quem já fez muito caminho e sabe distinguir o essencial do acessório,
os avós vão sendo, cada vez mais, o suporte de uma sociedade um pouco perdida no rumo.
Será  possível todos amarmos um pouco ao seu jeito?
Chamem-me neto ou avô e estou encontrado!

Friday, July 25, 2014

Arriscar é: manual de férias



Manual de férias

1. Beba mais água, e coma com calma e em conjunto saboreando os alimentos e a companhia ;
2. Durma 8 horas por dia e faça uma sesta;
3. Coma mais alimentos naturais sem serem processados


4. Apanhe sol com moderação mas aproveite o ar livre;
5. Ande de bicicleta e vá ao cinema ou veja filmes em casa;
6. Brinque com seus irmãos, filhos e netos;
7. Leia livros, jornais e revistas;
8. Sente-se em silêncio pelo menos 10 minutos por dia;
9. Arranje tempo para rezar;
10. Faça uma caminhada por dia, se possível acompanhado de uma boa conversa.


11.Desfrute do que é seu e lhe deu tanto trabalho e esforço para adquirir e manter com o seu trabalho (casa, carro…)
12. Visite a sua família e velhos amigos;
13. Dê algo que é seu para alegria dos outros;
14. Deite fora coisas velhas e mude a decoração da casa e o seu guarda roupa;


15. Tenha tempo para a arte, ver ou criar;
16. Imprima algumas fotos e ofereça e organize um álbum;
17. Agradeça por escrito ou doutra forma o que partilharam consigo ou os que marcaram presença na sua vida;


18. Faça uma lista para cada dia com as tarefas que gostaria de realizar;


19. Sonhe com projectos para depois das férias e escreva-as;


20. Partilhe estas ideias com os seus e recolha mais sugestões para nos enviar (pcarlosazevedo@gmail.com)

Thursday, July 17, 2014

Arriscar é: priorizar

O tempo que o tempo nos dá serve para
dar ao tempo o melhor que o pode preencher.
Este tempo permite-nos dar prioridade
aquilo para o qual não costumamos ter tempo.
Para quê gostaríamos de ter tempo afinal?

Tuesday, July 15, 2014

Arriscar é: fresquinho

Chá quente no inverno e água fresca no verão
proporcionam momentos de enorme bem estar.
E o segredo está no simples.
Basta tão pouco para somar tanto.
Não deixemos de dar tempo ao fresco de cada tempo.

Friday, July 11, 2014

Arriscar é: 1000 anos

Se tem metas para 1 ano. Plante arroz
Se tem metas para 10 anos. Plante uma árvore
Se tem metas para 100 anos, então eduque uma criança
Se  tem metas para mais de 1000 anos,então preserve o meio Ambiente. 
Confúncio


Monday, July 07, 2014

Arriscar é: apoiar

Apoiar é uma das formas de acrescentar esperança ao mundo.
Se em certos momentos não conseguimos apoiar diretamente
podemos apoiar quem apoia.

Thursday, July 03, 2014

Arriscar é: eterno belo

Eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida eu vou te amar
Em cada despedida eu vou te amar
Desesperadamente, eu sei que vou te amar
E cada verso meu será
Pra te dizer que eu sei que vou te amar
Por toda minha vida
Eu sei que vou chorar
A cada ausência tua eu vou chorar
Mas cada volta tua há de apagar
O que esta ausência tua me causou

Eu sei que vou sofrer a eterna desventura de viver
A espera de viver ao lado teu
Por toda a minha vida
Tom Jobim


https://www.youtube.com/watch?v=m4U3ruFPc4Y#t=113

Wednesday, July 02, 2014

Arriscar é: quando...


Quando o meu corpo apodrecer e eu for morta 
Continuará o jardim, o céu e o mar, 
E como hoje igualmente hão-de bailar 
As quatro estações à minha porta. 

Outros em Abril passarão no pomar 
Em que eu tantas vezes passei, 
Haverá longos poentes sobre o mar, 
Outros amarão as coisas que eu amei. 

Será o mesmo brilho, a mesma festa, 
Será o mesmo jardim à minha porta, 
E os cabelos doirados da floresta, 
Como se eu não estivesse morta. 

SOPHIA DE MELLO BREYNER

Arriscar é: salvar se


“A poesia é das raras actividades humanas que, 
no tempo actual, 
tentam salvar uma certa espiritualidade. 
A poesia não é uma espécie de religião, 
mas não há poeta, crente ou descrente, 
que não escreva para a salvação da sua alma.”

SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN

(1919-2004)

Thursday, June 26, 2014

Arriscar é: sobre a rocha

Construir uma vida sobre a rocha
é construir uma vida sobre compromissos.
Essa história de querer construir uma vida sobre a ausência de compromissos
é como construir algo sobre a areia. Tudo muito instável.
Nenhum compromisso é nenhuma solidez e consistência de vida.

Friday, May 23, 2014

Arriscar é: Pazcoa 15

O anjo da guarda tem uma acção fantástica na nossa vida.
Quando pedimos, deixamos e tomamos consciencia dessa presença
a nossa vida acaba na gratidão.
Acredita! É deslumbrante!

Sunday, May 18, 2014

Arriscar é: Pazcoa 13

«O prof. Andrew Oitke publicou o seu polémico livro «Mental Obesity», que revolucionou os campos da educação, jornalismo e relações sociais em geral.

Nessa obra, o catedrático de Antropologia em Harvard introduziu o conceito em epígrafe para descrever o que considerava o pior problema da sociedade moderna.

«Há apenas algumas décadas, a Humanidade tomou consciência dos perigos do excesso de gordura física por uma alimentação desregrada.
Está na altura de se notar que os nossos abusos no campo da informação e conhecimento estão a criar problemas tão ou mais sérios que esses.»

Segundo o autor, «a nossa sociedade está mais atafulhada de preconceitos que de proteínas, mais intoxicada de lugares-comuns que de hidratos de carbono.

As pessoas viciaram-se em estereótipos, juízos apressados, pensamentos tacanhos, condenações precipitadas.

Todos têm opinião sobre tudo, mas não conhecem nada.

Os cozinheiros desta magna "fast food" intelectual são os jornalistas e comentadores, os editores da informação e filósofos, os romancistas e realizadores de cinema.

Os telejornais e telenovelas são os hamburgers do espírito, as revistas e romances são os donuts da imaginação.»

O problema central está na família e na escola.

«Qualquer pai responsável sabe que os seus filhos ficarão doentes se comerem apenas doces e chocolate.»

Não se entende, então, como é que tantos educadores aceitam que a dietamental das crianças seja composta por desenhos animados, videojogos e telenovelas.

Com uma «alimentação intelectual» tão carregada de adrenalina, romance, violência e emoção, é normal que esses jovens nunca consigam depois uma vida saudável e equilibrada.»

Um dos capítulos mais polémicos e contundentes da obra, intitulado "Os Abutres", afirma:

«O jornalista alimenta-se hoje quase exclusivamente de cadáveres dereputações, de detritos de escândalos, de restos mortais das realizações humanas. A imprensa deixou há muito de informar, para apenas seduzir, agredir e manipular.»

O texto descreve como os repórteres se desinteressam da realidade fervilhante, para se centrarem apenas no lado polémico e chocante.

«Só a parte morta e apodrecida da realidade é que chega aos jornais.»

Outros casos referidos criaram uma celeuma que perdura.

«O conhecimento das pessoas aumentou, mas é feito de banalidades. Todos sabem que Kennedy foi assassinado, mas não sabem quem foi Kennedy.

Todos dizem que a Capela Sistina tem tecto, mas ninguém suspeita para que é que ela serve.

Todos acham que Saddam é mau e Mandella é bom, mas nem desconfiam porquê.

Todos conhecem que Pitágoras tem um teorema, mas ignoram o que é um cateto».

As conclusões do tratado, já clássico, são arrasadoras.

«Não admira que, no meio da prosperidade e abundância, as grandes realizações do espírito humano estejam em decadência.

A família é contestada, a tradição esquecida, a religião abandonada, a cultura banalizou-se, o folclore entrou em queda, a arte é fútil, paradoxal ou doentia.

Floresce a pornografia, o cabotinismo, a imitação, a sensaboria, o egoísmo.

Não se trata de uma decadência, uma «idade das trevas» ou o fim dacivilização, como tantos apregoam.

É só uma questão de obesidade.

O homem moderno está adiposo no raciocínio, gostos e sentimentos.

O mundo precisa sobretudo de dieta mental. Não precisa de reformas, desenvolvimento, progressos.» 

Monday, May 12, 2014

Arriscar é: Pazcoa 12

O nome de batismo é afinal o nome pelo qual Deus nos conhece e pelo qual nos chama e acompanha numa relação pessoal.
No batismo, depois de pais e padrinhos nos apresentarem, o nosso primeiro nome passa a apelido porque a partir daí  o primeiro é Filho(a)!

Thursday, May 08, 2014

Arriscar é: Pazcoa 11

"A cantiga é uma arma "!...
canta-se em abril e maio.

Mas o silêncio também.
Se for um silencio orante dá vida!
Se for um silencio amuante dá morte!

Wednesday, May 07, 2014

Arriscar é: Pazcoa 10

Há pessoas que têm uma invulgar capacidade de gestão.
O texto seguinte fala dessa gestão com sabedoria e acima de tudo com qualidade
e rentabilidade acrescida para o próprio e para os restantes que o rodeiam:

"Onde seremos nós capazes de encontrar a alegria do amor? Na eucaristia e na sagrada comunhão. Jesus fez-Se «pão da vida» para nos dar a vida. Ali está Ele, dia e noite. Se realmente quereis progredir no amor, voltai-vos para a Eucaristia, voltai-vos para essa adoração. Na nossa congregação havia o costume de fazer adoração [ao Santíssimo Sacramento] durante uma hora, uma vez por semana; mais tarde, em 1973, decidimos fazer adoração durante uma hora, todos os dias. Andávamos cheias de trabalho: as nossas casas destinadas aos doentes e aos moribundos desvalidos estavam lotadas. Mas, depois que começámos a adoração diária, o nosso amor por Jesus ficou mais íntimo, o nosso amor pelas irmãs mais solícito, o nosso amor pelos pobres mais compassivo. […] "
Beata Teresa de Calcutá