!

!

Friday, May 18, 2007

Arriscar é: conhecer para crer

Algumas pessoas acreditam porque sentem.
Acreditar em Deus e no que existe entre nós e os outros
não pode depender unicamente dos afectos ou sentimentos.
Às vezes uma simples dor de barriga
pode alterar os nossos sentimentos
E lá se vão as nossas crenças.
E até Deus deixa de existir…
Os sentimentos são muito oscilantes e falaciosos.
Por isso eles podem ser causa de uma enorme instabilidade
para os que tudo apoiam neles.
Para além de não aguentarmos,
levamos a que os outros não nos aguentem.
A constante incerteza das nossas reacções
e a oscilação dos nossos humores gera um cansaço
e fuga dos outros em relação a nós.
As grandes certezas da nossa vida
começam-se a definir por uma adesão emocional,
mas devem ser reforçadas e bem alicerçadas no conhecimento.
Falemos e acreditemos não só do que sentimos mas do que conhecemos
.

Wednesday, May 16, 2007

Arriscar é: semear

Essa é a nossa missão: semear.
Por vezes parece que não vale a pena.
Cansamos de insistir e puxar…
Mas é isso que dá mais sentido ao nosso viver.
Semear bem. Com persistência.
Semear com gestos e palavras.
Estamos muitas vezes a ser copiados quando agimos e falamos.
Consciente ou inconscientemente. Nada é indiferente.
Até a indiferença resultará em algo.
Não um fruto, mas a sua ausência, o vazio.
Temos que arriscar semear
mesmo que a semente só frutifique mais á frente,
já fora do nosso tempo.
Se as sementes forem bem semeadas e de qualidade,
a nossa melhor qualidade, elas produzirão…
Não esquecer nunca que o parto das sementes leva tempo.
A nossa parte é lançá-las bem lá no coração da vida.

Tuesday, May 08, 2007

Arriscar é: estar preparado

Tudo pode acontecer.
Para todos os lados. Bons e maus.
Há que estar preparado.
Ainda que muita da preparação nunca nos venha a fazer falta
é sempre bom ter uma dose ou medida grande que nos permita
uma resposta boa diante do maior numero de situações.
Isto porque nos acontecem muitas coisas
para as quais não estávamos preparados, mas bem pensado,
já eram possíveis de vir a acontecer.
Que a única surpresa seja a forma admirável,
tranquila e sensata como agimos perante o que nos suceda.