Friday, March 30, 2007

Arriscar é: avançar

Muitos e muitas vezes estamos tão autocentrados que não avançamos.
E quem anda sempre à roda de si mesmo não avança.
Está sempre no mesmo sítio.
Assim é quando tudo começa e acaba em si próprio.
Para se avançar é preciso ter uma meta definida.
Pode avançar-se muito ou pouco. Para fora e para dentro, mas buscando a plenitude.
E essa é absolutamente transcendente.
Se tivesse apenas a nossa medida seria pouco.

Contudo ela chama-nos a mais.
A superarmo-nos.

Começar é tarefa da nossa vontade
e tem que ter hora marcada, mas acabar
é algo que não podemos querer determinar ou decidir.
É do domínio do mais e do Além.

Wednesday, March 28, 2007

Arriscar é: ouvir

Está aí alguém?... (grita o bebé)
Que me diga onde param os que por Amor
Me quiseram e por amor me deixaram aqui…


Está aí alguém?... (grita a criança)
Que me diga quem é meu pai.

Está aí alguém?... (grita o jovem)
Que me diga que saída tenho.


Está aí alguém?... (grita o novo casal)
Que nos diga como vai ser.

Está aí alguém?... (gritam os pais dedicados)
Que nos diga onde erramos.

Está aí alguém?... (grita o idoso)
Que olhe por mim, por favor.

… … … … … … … … …

Está aí alguém?... (grito eu)
Que esteja a ouvir o mesmo que eu.

Tuesday, March 27, 2007

Arriscar é: alimentar a chama

A vida é uma chama.
Quando somos gerados essa chama é acesa.
Quando somos pequenos são os mais velhos que a cuidam, a alimentam, a protegem.
Nessa etapa a nossa responsabilidade é reduzida.
Com o nosso crescimento ela vai aumentando.
E vamo-nos comprometendo cada vez mais…
Aqui alto!
Este compromisso é antes de tudo o olharmos por nós.
Somos cada vez mais responsáveis pela nossa chama. Não devemos esquecer isto.
Somos quem deve ser o primeiro a cuidar dessa chama.
Cuida-se disto, daquilo, deste, daquele…
Mas a tua chama deve ser uma especial atenção da tua pessoa.
Descobre-te. Conhece-te. Estima-te. Defende-te.
Alimenta-te e depois brilha. Irradia.
E é o Amor que melhor alimenta a chama e a sacia.

Monday, March 12, 2007

Arriscar é: acreditar na conversão

A Páscoa é um momento formado e preparado por muitos momentos.
A Páscoa é um estado ou atitude de vida.
A Páscoa não é mas é-se.
Daqui se afirme que Cristo é a nossa Páscoa.
A Páscoa não se diz, no minimo Ela vê-se,
testemunha-se e acredita-se.
Em Páscoa surgimos e estamos ou então morremos...definitivamente.
O mais importante é entrarmos nessa dimensão.
É mesmo outra dimensão.
Não dá só porque se ouviu falar e então se fala. É VIDA.
Vida toda inteira, vivida aqui tão intensamente
que até parece que não somos de cá.
Estranham-nos a Paz e a inquietação.
O silêncio e a palavra.
A liberdade na multidão e na solidão.
A simplicidade e a majestade.
Sede uma Páscoa feliz para todos.

Friday, March 09, 2007

Arriscar é: deixar Deus entrar

É vulgar a nossa falta de critério no que respeita
ao que nos entra pelos olhos e pelos ouvidos.
Somos permissivos a toda a espécie de porcarias

que nos querem impingir.
Às vezes até somos nós que buscamos a banalidade,
o corriqueiro e todo o género de coisas superficiais
para ocupar e encher o nosso interior.
Porquê tanta permeabilidade ao que só quer usar-nos e ao sem valor?
E porquê tanta resistência a Deus e á Sua proposta de Vida?
Procuremos mais a Deus e o que é claramente Dele.
Deixemos que entre O que nos eleva

para a plenitude da nossa dignidade,
e não o que nos desfigura e rebaixa.

Deixemos entrar O que disse e fez,
O que deu a Vida por nós.

Arriscar é: nutrir-se

Hoje fala-se em toxicidade dos alimentos e das pessoas com quem nos relacionamos.  Na verdade, é que é fraca a qualidade da alimentação mas...